Na última sexta-feira (07), a presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (CREA-MT), Kateri Felsky dos Anjos, participou do 1º Fórum de Balanço da Safra da Soja 2016/2017, ocorrido na cidade de Primavera do Leste. O evento foi promovido pela Associação dos Engenheiros Agrônomos da cidade (AEAPL).

 

O evento contou com mais de 100 participantes que debateram, em alto nível técnico, como tem sido o cultivo da soja nos últimos anos e quais as práticas consideradas boas, para servirem de modelo para o aumento da safra.

 

O eng. Agrônomo, Osmar Szenczuk, presidente da AEAPL, abriu o evento explicando que o dia seria de troca de experiências e de análises para propor melhorias e mudanças. “Queremos aqui ouvir os relatos de produtores e debater as boas experiências, analisar como tem sido as safras dos anos anteriores e refletir de que forma podemos propor mudanças para melhorar nossa produção”, afirmou Osmar.

 

Vários produtores apresentaram suas experiências, desde grandes grupos, até agricultores em sistema familiar. Além destes, agrônomos e representantes de empresas de insumos e fornecedores do setor, debateram avanços e boas práticas.

 

O gerente técnico do Comitê Estratégico da Soja Brasil (CESB), Henry Sako, participou do evento com a palestra “O que aprendemos do CESB, soja de 141,79 sc/ha”. Evaldo mostrou experiências de outros estados, que podem servir de modelo e serem implementadas em Mato Grosso.

 

A CESB é uma entidade sem fins lucrativos, formada por profissionais e pesquisadores de diversas áreas que se uniram para utilizar os conhecimentos adquiridos nas suas respectivas carreiras em prol da sojicultura nacional. O intuito é aumentar a produtividade da soja, através do desenvolvimento de práticas de cultivo inovadoras.

 

Kateri Felsky dos Anjos, que também é agrônoma, destacou a importância do evento, na busca por trazer mudanças e melhorias para o cultivo da soja e, fez uma paralelo com sua gestão no CREA-MT.

 

“Devemos sempre buscar mudanças e melhorias e, é isto que também estamos fazendo no Conselho. Estamos criando condições de melhorar os serviços aos nossos profissionais, seja através de treinamento de pessoal, melhor estruturação física e tecnologia. Queremos um CREA mais fortalecido e melhor estruturado para atender nossos profissionais”, destacou a Presidente.

 

Ao final do encontro o eng. Agrônomo e conselheiro do CREA-MT, Clóvis do Lago Alburquerque, falou sobre o resultado do evento. “Tivemos aqui uma grande troca de experiências, um momento para inspirar maior reflexão e podemos ver que cada fase do processo é uma etapa importante para o sucesso dos cultivos. Não há receita de bolo e cada experiência abordada hoje, mostrou que cada caso é um caso que merece toda nosso expertise”, salientou Clóvis.