Enfrentar esta batalha diária chamada Trânsito e chegar ileso ao destino é uma missão que, infelizmente, nem todos os motoristas e pedestres conseguem realizar com sucesso. Dia a dia a neurose do trânsito ganha terreno, atingindo mais e mais pessoas, até o ponto em que motoristas, simplesmente resolvem dar meia volta e retornar pela contra-mão em rodovias como a Castelo Branco e Imigrantes. Recentemente uma motorista dirigiu na Av. 23 de Maio, por 6 km, na contra-mão, somente parou porque os policiais haviam feito um bloqueio para interceptá-la e ao descer do veículo, mordeu o braço do policial. No Rio de Janeiro, um motorista passa no sinal vermelho, quase atropela pai e dois filhos e diante da reclamação do pai, engata a marcha a ré, tenta novamente atropelá-los e não conseguindo, desce do carro, bate com uma barra de ferro na cabeça do pai e simplesmente entra no carro e vai embora. Junte-se a estas atitudes assassinas (infelizmente não tratadas como tal pelas brandas leis existentes) a constatação estarrecedora de que 70% das mortes em acidentes de trânsito estão relacionadas diretamente ao consumo de bebidas alcoólicas e mais uma série de condições desfavoráveis (greves, manifestações públicas, enchente, calor, congestionamento, buzinas e faróis em excesso, poluição, acidentes, veículos quebrados, etc.) que dá para se ter uma idéia da batalha a ser enfrentada diariamente para se ir e vir do trabalho. Quais serão os comportamentos dos demais motoristas, motociclistas e pedestres que você encontrará pelo caminho? Certamente você encontrará os apressados, hostis, egoístas, competitivos, impulsivos, distraídos, depressivos, eufóricos, etc. Se você não estiver consciente, preparado e em condições de enfrentar esta verdadeira miscelânea de comportamentos, vai acabar fazendo parte das estatísticas de acidentes ou até mesmo tendo um infarto. Então procure: • Analisar conscientemente seu modo de dirigir, impondo-se limites; • Usar o bom senso, assumindo uma postura segura e cordial, auxiliando os inseguros a chegarem sãos e salvos; • Planejar caminhos com antecedência, evitando áreas escolares nos horários de entrada e saída de alunos, trechos em obras, regiões sujeitas à inundação quando em dias de chuva e situações outras divulgadas pela mídia; • Antecipar sua saída em 10 ou 15 minutos, representando um ganho significativo de tempo e estresse, evitando-se congestionamentos e afobações; • Analisar cada situação do tipo “Ufa!! Escapei por pouco!!”, assimilando a nova atitude que a evitaria; • Esperar a sua “temperatura” baixar antes de assumir o comando de um veículo. *Luiz Roberto M. C. Cotti sobrevivencianotransito@hotmail.com