No dia 31 de janeiro é celebrado nacionalmente o Dia do Engenheiro Ambiental, para homenagear esse profissional responsável por desenvolver técnicas para a preservação do meio ambiente através do planejamento, coordenação e administração de estações de tratamento de esgoto, redes de distribuição da água e descarte do lixo e todos os engenheiros ambientais do Sistema Confea/Crea, o Regional Mato-grossense entrevistou a coor. da Coordenadoria de Acerco Técnico(CATE) do Crea Mato Grosso, Susana Pacheco , formada há 08 anos em Engenharia Ambiental pela Universidade de Cuiabá (UNIC), com mestrado em Ciências Ambientais também pela UNIC.

Gecom- Por que escolheu a profissão de Engenheira Ambiental?

Susana– Por gostar de trabalhar com desafios, desenvolvimento e gestão dentro da sustentabilidade, que costumo dizer que o desenvolvimento sustentável é a pirâmide. Na qual inclui a sociedade, o meio ambiente e a economia. Ou seja, um protege o outro.

Gecom- Qual o trabalho de uma engenheira ambiental e quais seus planos para o futuro?

Susana- São muitas as atividades que envolvem a utilização e controle dos recursos naturais. Isso começa deste o projeto, a construção e o gerenciamento das operações de sistemas de obtenção e distribuição de água, da coleta de tratamento de esgoto sobre como fluentes e do seu descarte ou da reciclagem de resíduos sólidos. Quanto aos planos profissionais, futuramente pretendo seguir carreira de docente na engenharia já que conclui o mestrado. Pretendo passar tudo que aprendi para os novos profissionais da área.

Gecom- Como é definida essa profissão?

A engenharia ambiental ou do ambiente é o ramo que pode ter várias áreas de atuação desde que define a atribuição do profissional até o que se estudou . O engenheiro pode atuar na parte ambiental, gestão ambiental, abastecimento e tratamento de água, drenagem e tratamento de águas pluviais e residuais, gestão de resíduos, gestão de ecossistemas, gestão de recursos hídricos, clima e qualidade do ar, acústica e vibrações, plano e ordenamento do território, energia, saúde ambiental e segurança e saúde no trabalho, gestão de solos, subsolos, geotecnia ambiental, coordenadoria técnica de aterro sanitários, geologia ambiental, avaliação de impacto ambiental em águas subterrâneas e superficiais, hidrogeoquímica ambiental, hidrogeologia ambiental, estudos hidrológicos, plano geotécnico de monitoramento de barragem, plano geotécnico ambiental de aterro sanitário, avaliação de riscos geotécnicos ambientais, avaliação de qualidade dos procedimentos de monitoramento de barragem de rejeito, de água, investigação do subsolo nas atividades ambientais, geofísica ambiental, remediação ambiental de águas superficiais e subterrâneas, dimensionamento de sistema de tratamento de efluente atmosférico, dispersão de emissão atmosférica, engenharia urbana, zoneamento socioeconômico ambiental.

A engenharia do ambiente estuda os problemas ambientais de forma integrada nas suas dimensões ecológica, social, econômica e tecnológica, com vista a promover o desenvolvimento sustentável. O engenheiro ambiental deverá saber reconhecer, interpretar e diagnosticar impactos ambientais negativos e positivos, avaliar o nível de danos ocorridos no meio ambiente e propor soluções integradas de acordo com o direito do ambiente vigente.

 

Gecom- Qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Susana- quem se forma em Engenharia tem a possibilidade de atuar em um mercado de trabalho que oferece muitas possibilidades, pois cada área da profissão proporciona uma atuação específica. Ao se formar, os novos engenheiros se deparam com algumas dúvidas em relação ao futuro de suas carreiras. Aconselho esses novos profissionais buscarem aperfeiçoamento contínuo. O conhecimento que você adquire na faculdade, ou fora dela nunca serão o bastante, portanto você deve estar sempre estudando e se mantendo atualizado.

Para isso, você pode fazer cursos de extensão, especializações, idiomas e muitos outros. O bom profissional, independentemente da sua profissão, precisa se manter atualizado em relação à área em que atua.

O mercado de trabalho está repleto de profissionais medianos e inseguros com suas qualificações. Para se destacar, entenda qual é a principal necessidade do mercado e trabalhe de maneira a supri-la, buscando as qualificações que são mais requeridas atualmente. Assim, você certamente terá um diferencial a oferecer.

Para conseguir isso, é importante dominar e acompanhar de perto os assuntos relacionados à sua área de atuação. Pesquise sobre as necessidades do mercado e qualifique-se para estar entre as primeiras opções.

Cristina Cavaleiro/Equipe de Comunicação do Crea-MT