Estudantes de Engenharia de Rondonópolis recebem palestra: “Sistema Confea e Mútua”

31 de maio de 2022, às 15h31 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

Acadêmicos dos cursos de Engenharia Agrícola e Ambiental e de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Rondonópolis e de Engenharia Mecânica, Controle e Automação, Elétrica, Computação, Civil e Produção e Agronomia da Unic, daquele município receberam, em maio, a palestra “Sistema Confea/Crea e Mútua”.

O encontro foi conduzido pela coordenadora do Crea Mulher do estado, conselheira eng. mecânica e de segurança do Trabalho, Priscila Bernardi Rockenbach, o conselheiro, eng. agrimensor Carlos Roberto Michelini e a diretora-administrativa da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-MT (Mútua-MT), eng. sanitarista Suzan Lannes.

“ Explanamos sobre a quantidade de profissionais registrados no Sistema de Mato Grosso, que já passa dos 35 mil e 250 cursos das Engenharias, Agronomia e Geociências, e que o conselho dá atribuição, por ser profissional e fiscaliza o exercício ilegal da profissão.  Ele abre mercado ao engenheiro na hora que vai fiscalizar uma obra, que pode deparar com uma falta de Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), documento que é um contrato feito com o proprietário daquela obra. A função do Crea-MT não é fiscalizar a construção e sim a existência de um técnico habilitado no local”, explicou Priscila.

Ainda segundo a eng. mecânica, o papel do Sistema é proteger a sociedade, confere atribuições, valorização do profissional, define as penalidades, de composições das Câmaras Especializadas e a estrutura organizacional, o plenário, Comissões permanentes e especiais, bem como grupos de trabalho, presidência, diretoria e inspetorias.

“ Muitas vezes o Crea-MT é visado como um órgão arrecadador, mas na verdade, ele é uma autarquia que fiscaliza o exercício ilegal da profissão, além de abrir mercado ao profissional. As entidades de classe pertencentes ao Sistema, são de grande importância aos engenheiros e profissionais das áreas das geociências, a exemplo da Associação Brasileira de Engenheiros Mecânicos de Mato Grosso(Abemec-MT), Associação Brasileira dos Engenheiros Agrícolas(ABEAG-MT) e a Associação dos Engenheiros Agrônomos da Grande Rondonópolis(AEAGRO), que agregam o fortalecimento da classe ao mercado de trabalho, por proporem capacitação e luta de seus direitos profissionais”, disse a conselheira Priscila.

Já o conselheiro Michelini destacou que o Crea-MT é um órgão público de autarquia federal especial da administração indireta de abrangência nacional de instância máxima na regulamentação do exercício profissional, que zela pela ética profissional das modalidades do Sistema, fiscaliza o exercício e as atividades dessas modalidades, atendendo à sociedade e o profissional, além de registrar tabelas de honorários elaboradas pelas entidades de profissionais, sem fins lucrativos.

Na oportunidade, o eng. agrimensor fez um convite aos acadêmicos a participarem do curso de Introdução a Engenharia de Avaliações e Pericias:  “Capacitação Profissional”, Metodologias e Técnicas de Avaliações de Imóveis Rural, e Laudos Técnicos Periciais, que será realizado no dia 25 de junho no Hotel Rios no município de Rondonópolis.

A diretora-administrativa da Mútua-MT, eng. sanitarista Suzan Lannes explicou aos estudantes os benefícios da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-MT (Mútua-MT), conhecida como o braço social do Sistema.

“ A instituição oferece soluções em benefícios diferenciados que proporcionam melhor qualidade de vida e ajudam os profissionais a alcançarem seus objetivos, seja um carro novo, uma viagem, uma pós-graduação, um upgrade no seu empreendimento, ou outros. Ao se associar à Mútua, o profissional tem à sua disposição onze benefícios reembolsáveis, ou seja, linhas de crédito, com taxas de juros especiais. Um para cada necessidade: Ajuda Mútua, Garante Saúde, Equipa Bem, Férias Mais, Apoio Flex, Construa Já, Família Maior, Educação, Veículos, Empreendedorismo e Agropecuário”, disse Suzan.

Fizeram parte da palestra as  coordenadoras dos cursos de engenharia mecânica, elétrica, automação, computação e controle e automação da Unic, Laura Caroline Rodrigues Vieira, coordenadora dos cursos de Engenharia civil e de Produção Jéssica Monteiro, e os professores   Vagner Haubricht Pinheiro e Rodolpho Schwingel. Já da UFR, participaram do encontro as professoras:  Maria da Conceição Trindade Bezerra e Oliveira, coordenadora do curso de Engenharia Agrícola e Ambiental e   Marcia Moreira Medeiros, diretora adjunta do Instituto de Ciências Agrárias e Tecnológicas.

 

Cristina Cavaleiro Costa/Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR)