Crea-MT adere ao julho Amarelo: “Campanha de Prevenção às Hepatites Virais”

1 de julho de 2022, às 16h14 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) aderiu à campanha “Julho Amarelo”, de incentivo às ações de vigilância, prevenção e controle às hepatites virais. Por esse motivo, durante todo o mês a fachada da autarquia permanecerá iluminada com a cor alusiva à data, além disso, o atendimento do Conselho também se manterá decorado com banner e balões amarelos.

Para o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), eng. civil Juares Samaniego, é uma honra abraçar causas como essa, principalmente se tratando de salvar vidas. “O Crea-MT desenvolve campanhas dessa natureza todos os meses. Muitas surtem efeitos por serem propagadas não só entre os funcionários e profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua, mas também ao ser disseminada na sociedade civil organizada de modo geral”, disse.

De acordo com a gerente de Infraestrutura e Logística do Crea Mato Grosso, Adriana Imbriani, ao buscar os serviços do Crea-MT, de imediato, o engenheiro já se depara com a ação de duas formas: ao entrar no órgão, e após as 18h, ao passar pela avenida e ver a fachada iluminada de amarelo. Isso faz a diferença, propondo o repasse dessa conscientização”, disse.

Ao buscar o atendimento do Conselho, o eng. civil Alahn Morais deparou com a Campanha, e abraçou a causa, afirmando que será um agente propagador das prevenções. “Ações como essa são muito importantes, principalmente se tratando de uma autarquia federal como Crea. O intuito do Conselho de profissões tem que ser esse: auxiliar os responsáveis técnicos em todos os aspectos que precisarem, principalmente no quesito saúde.

Segundo dados do Ministério da Saúde, a ação foi instituída no país em 2019, por meio da Lei nº 13.802, visando, até 2030, eliminar as hepatites virais como problema de saúde pública e aumentar os esforços para combater as infecções pelos vírus das hepatites B e C. No Brasil, os tipos mais comuns são causados pelos vírus A, B e C. Mas também existe o vírus da hepatite D, que é mais frequente na região Norte e o vírus da hepatite E, que possui ocorrência rara no país.

O Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais, desenvolvido pelo Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, mostra que somente no período de 1999 a 2020, 254.389 pessoas foram diagnosticadas com o vírus da hepatite B e 262.815 com o vírus da hepatite C. Essas infecções são as principais causas de doença hepática crônica, cirrose hepática e carcinoma hepatocelular. A carga de doenças resultantes das hepatites virais e o próprio agravo por si só representam um desafio de saúde pública para o Sistema Único de Saúde (SUS).

Saiba como se prevenir da doença:
● Não compartilhe objetos de qualquer tipo com alguém que possa estar com alguma das hepatites virais;
● Tenha cuidado com a higiene dos alimentos, lavando-os bem antes de comer;
● Ao viajar para áreas com casos de hepatites, redobre os cuidados;
● Mantenha exames de rotina e consultas médicas em dia;
● Não compartilhe objetos perfurantes e cortantes;
● Use preservativo em relações sexuais;
● Mantenha as vacinas em dia.

Sarah Mendes sob supervisão de Cristina Cavaleiro / Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR)