Coordenador da Câmara Especilizade de Engenharia Civil(CEEC) do Crea Mato Grosso, conselheiro Silvano Pohl Moreira de Castilho Junior

O Conselheiro do Crea Mato Grosso e coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Civil (CEEC) regional e adjunto da CEEC nacional, eng. civil Silvano Pohl Moreira de Castilho júnior representou nos dias 29, 30 e 31 de maio o regional mato-grossense na sessão plenária nº 1495 do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

Aprovação dos nomes a serem homenageados com as honrarias do Sistema Confea/Crea e Mútua. Bem como a liberação de registro profissional para diplomados no exterior e a participação do Confea em eventos no exterior foram algumas das decisões tomadas pelos conselheiros.

“ Primeiramente gostaria de elogiar a ação parlamentar que está sendo conduzida pelo Confea. O engenheiro é muito orgulhoso de ter seu conhecimento técnico e por muito tempo tivemos uma relação distante com a política por conta disso. Um erro que nos fez perder espaço político e impediu de contribuir mais amplamente com as decisões nesse âmbito. Essas ações parlamentares estão mudando o panorama e inserindo o sistema Confea/Crea/ Mútua no contexto da política brasileira”, simplificou Silvano durante o encontro.

Com relação as disputas internas acerca de atribuições, o conselheiro mato-grossense disse que devem ser superadas internamente, pois o   foco deveria ser externo, pois outros conselhos é que estão criando condições que dificultam a atuação profissional, a exemplo do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU) que exige atribuições exclusivas e concede atribuições aos seus registrados que exorbitam o seu currículo.

“Peço para que haja uma maior aproximação entre as Câmaras e os conselheiros federais, pois na realidade a CEEC não é uma entidade de fora do sistema. Todos fazemos parte do Confea, precisamos que nossas propostas sejam mais eficazes. Estamos numa situação em que as Câmaras reclamam do Confea por não aprovar as nossas propostas e ao mesmo tempo o Conselho Federal de Engenharia e Agronomia   questionam da baixa produtividade das Câmaras.

Dessa forma como temos um objetivo comum, aprovar propostas. Evitando que sugestão sejam recusadas por motivos de simples correção ou entendimento, como por exemplo a proposta 11/2018 da CCEEC que foi recusada por não contemplar o endereço do órgão a ser demandado”, explicou o coordenador da CEEC do Crea-MT solicitando também que essa é uma demanda apresentada pelo engenheiro Collares na última reunião da CCEEC, questionando que as peças publicitarias do Confea deem mais ênfase aos serviços de projetos, compatibilização e coordenação pois muitos engenheiros trabalham exclusivamente com esses serviços.

 

Cristina Cavaleiro/Equipe de Comunicação do Crea-MT