“Sistema Confea/Crea de MT ultrapassa 35 mil profissionais registrados”, destacou Juares durante palestra em Nova Xavantina

27 de maio de 2022, às 11h30 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

Os acadêmicos do curso de Agronomia da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), campus do município de Nova Xavantina receberam este mês de maio, a palestra: “Sistema Confea/Crea e Mútua”, conduzida pelo presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), eng. civil Juares Samaniego.

“Hoje o Sistema Confea/Crea de Mato Grosso ultrapassa 35 mil profissionais registrados, além de 250 cursos dentro das Engenharias, Agronomia e Geociências.   A função do Conselho é proteger a sociedade, confere atribuições, valorização do profissional, define as penalidades, de composições das Câmaras Especializadas e a estrutura organizacional, o plenário, Câmaras Especializadas, Comissões permanentes e especiais, bem como grupos de trabalho, presidência, diretoria e inspetorias, explanou Juares.

Para Samaniego, o Crea-MT é um órgão público de autarquia federal especial da administração indireta de abrangência nacional de instância máxima na regulamentação do exercício profissional, que zela pela ética profissional da engenharia, agronomia e geociências, fiscaliza o exercício e as atividades dessas modalidades, atendendo à sociedade e o profissional, além de registrar tabelas de honorários elaboradas pelas entidades de profissionais, sem fins lucrativos.

“ Costumo expressar, que as vezes chega até as instituições de ensino superior   que o conselho não ajuda o profissional, que só arrecada. O conselho dá atribuição, por ser profissional e fiscaliza o exercício ilegal da profissão e abre mercado ao engenheiro na hora que vai fiscalizar uma obra, que pode deparar com a ausência da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), documento que é um contrato feito com o proprietário daquela obra. A função do Crea-MT não é fiscalizar a construção e sim a existência de um técnico habilitado no local”, disse Juares.

O presidente do Conselho, explanou ainda que o Crea-MT é um órgão público de autarquia federal especial da administração indireta de abrangência nacional de instância máxima na regulamentação do exercício profissional, que zela pela ética profissional da engenharia, agronomia e geociências, fiscaliza o exercício e as atividades dessas modalidades, atendendo à sociedade e o profissional, além de registrar tabelas de honorários elaboradas pelas entidades de profissionais, sem fins lucrativos.

“O engenheiro civil, eletricista, de transporte, ou até mesmo de outras modalidades, pode participar de algumas entidades de classe que fazem parte do Crea Mato Grosso.  O engenheiro civil tem opções de se associar em quatro entidades de classe que são ligadas ao Crea-MT. como: Associação Brasileira dos Engenheiros Civil (Abenc-MT), Sindicatos dos Engenheiros de Mato Grosso (Senge-MT), Instituto de Engenharia de Mato Grosso (IEMT) e Instituto Brasileiro de Avaliações e Pericias de Mato Grosso (Ibape-MT) ”, relatou Samaniego.

Na oportunidade, Juares falou sobre os benefícios da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-MT(Mútua-MT), conhecida como   braço social do Sistema.

Segundo ele, a Instituição oferece soluções em benefícios diferenciados que proporcionam melhor qualidade de vida e ajudam os profissionais a alcançarem seus objetivos, seja um carro novo, uma viagem, uma pós-graduação, um upgrade no seu empreendimento, ou outros.

Para a   professora do curso de Agronomia da Unemat de Nova Xavantina, engenheira Ana Heloisa Maia,  a  palestra foi  de grande importância  aos acadêmicos dessa modalidade, principalmente para esclarecer os  aspectos relacionados à fiscalização do exercício profissional, bem como o funcionamento do Sistema  Confea/Crea e Mútua. Além da participação do superintendente Operacional do Crea-MT, Giovani Marcos Bertol.

Cristina Cavaleiro Costa/Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR)