Presidente, conselheiros e profissionais do Sistema participam do Curso: “Avaliação de Imóveis Rurais”

15 de junho de 2022, às 14h43 - Tempo de leitura aproximado: 5 minutos

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), Eng. Civil Juares Samaniego, conselheiros do Crea Mato Grosso, e dos profissionais do Sistema Confea/Crea e Mútua de Mato Grosso participaram, nos dias 09, 10 e 11 de junho, do Curso de “Avaliação de Imóveis Rurais”, em Cuiabá. O evento é realizado pelo Instituto Brasileiro de Avaliações de Perícia de Engenharia de Mato Grosso (IBAPE-MT), com apoio do Crea-MT, Associação Mato-Grossense dos Engenheiros Florestais (AMEF-MT), Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea (Mútua-MT) e outros parceiros.  

O Eng. Civil Juares Samaniego, presidente do Crea-MT, avaliou o evento como positivo, principalmente para fortalecer as entidades de classe que lutam em prol dos profissionais do Sistema Confea/Crea. “O curso vem para dispor sobre uma área que está a cada dia em expansão e o mercado está abrindo. Temos 141 municípios e, talvez na grande propriedade o reflexo é menor, mas na pequena propriedade rural essa avaliação está sendo feita de forma errada, alguns não estão considerando terra nua e sim terra plantada. Isso dá um impacto de diferença na questão da avaliação de imóveis rurais”, explicou o presidente do Crea-MT. 

Samaniego fez uma explanação sobre sua participação na diretoria do IBAPE-MT, instituto na qual é sua área de atuação, a de perícia e avaliação, especificamente urbana e predial. Parabenizando o IBAPE-MT por trazer cursos e capacitações, até mesmo do interior de Mato Grosso, à exemplo de Sinop, Rondonópolis e outras regiões, com o propósito de qualificar os profissionais do Sistema. 

“O principal objetivo do encontro é fazer com que os profissionais se capacitem em seus campos de atuação, ou seja, cada um com seu foco, visando além da sustentação dessa sociedade que tanto carece de profissionais habilitados e com competência. Esse curso propõe uma área específica, voltada às modalidades de Agronomia, Ambiental e Florestal. Existe uma invasão de competência em vários lados e se os profissionais da modalidade florestal não demarcarem o seu território, eles serão “engolidos” pelo mercado, detalhou o presidente do IBAPE-MT, Engenheiro Eletricista Ivan Corrêa.  

Ainda de acordo com o Engenheiro Eletricista, o mercado é assim, não conhece quem é quem, ou seja, as pessoas com ou sem capacidade são contratadas e, quando acontece de contratar sem capacitação, ele se envolve em uma série de problemas a nível judicial e na maioria das vezes termina no tribunal. Então uma das metas do instituto é atualizar, alinhado com normas, associados dentro dos segmentos, assim fortalecendo os profissionais, juntamente com o Crea-MT e a Mútua-MT trazendo para o mercado vantagens na atuação das Engenharias ligadas a esse setor. 

Para o presidente da AMEF-MT e 1° vice-presidente do Crea-MT Engenheiro Florestal, Benedito Carlos de Almeida, a realização do curso surgiu depois que a diretoria e membros da AMEF-MT, perceberem o atual cenário da área florestal, e encontraram na capacitação e treinamentos dos associados, uma forma de oportunizar os profissionais as novas atividades para enriquecer seus portfólios profissionais. “A ideia é não parar por aqui, pretendemos desenvolver mais cursos na área de perícia, inclusive judicial, elaboração de laudos. Dando um enfoque para essa demanda. Pela magnitude que o IBAPE-MT tem, selamos essa parceria, entre o instituto e a AMEF-MT, para propor esse grande encontro, que contou com a participação de profissionais da área florestal, ambiental e agronômica.

De acordo com o membro da Câmara Especializada de Engenharia Florestal, conselheiro Engenheiro Florestal Cícero Ramos, a avaliação de imóveis rurais tem como objetivo definir o valor de mercado um imóvel em função das suas características. De forma a balizar e buscar capacitação sobre o assunto, assim como maior conhecimento das normas técnicas divididas em sete partes e que tratam da Avaliação de Bens. “Uma oportunidade para discutir, trocar informações, apresentar o mercado de trabalho na área da Engenharia de Avaliações e capacitar tecnicamente os profissionais que possuem habilitação legal junto ao Sistema Confea/Crea para exercerem suas funções.

Para o palestrante Eng. Agrônomo Arthur Guerra Paiva Avelar, mestre em Ingeniería de La Tasación y Valoración, Universidade Politécnica de Valência (Espanha), Especialista em Avaliações e Perícias de Engenharia pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC/MG) e coordenador de Gestão Fundiária na Cava Infraestrutura e membro do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Minas Gerais( IBAPE-MG), durante os três dias de encontro foi possível apresentar as premissas da ABNT NBR 14.653 partes 01 e 03 e levar situações vividas no dia a dia do profissional da Engenharia de Avaliações. “Foi muito bom conviver e trocar experiências com essa turma que mostrou interesse ao tema abordado. Uma oportunidade de ajudar na capacitação dos profissionais que exercem a atividade dessa modalidade me motiva a continuar buscando cada vez mais o conhecimento e a excelência para realizar as minhas atividades”, avaliou o Engenheiro Agrônomo do IBAPE-MG. 

O assessor técnico do Crea-MT, Eng. Florestal Domingos Sávio da Silva, que participou do evento explica que as Normas Brasileiras, as NBR 14653-1 e NBR 14653-3, são tendências para preencher uma lacuna existente de melhor preparo dos profissionais dessas modalidades os procedimentos e requisitos necessários para a avaliação de Imóveis rurais visando atender as exigências técnicas necessárias para melhor atender a demanda crescente de Laudos Técnicos consistentes. “Um imóvel rural é uma porção de terras que possuem vocação para exploração mineral, animal ou vegetal, em qualquer localização. Os laudos de avaliação de imóveis rurais são trabalhos técnicos elaborados por profissionais que laboram com intuito de obter o valor e custos existentes nos imóveis para atender uma determinada finalidade, situação e data específica, de forma a conhecer o valor real do bem em análise, e que atualmente representa um nicho com demanda crescente e importante para os engenheiros florestais e agrônomos”, disse Domingos.

Na oportunidade, o diretor-financeiro da Mútua-MT, Eng. Civil Silvano Pohl Moreira de Castilho Júnior explicou aos sobre os benefícios da Caixa de Assistência dos Profissionais do Crea-MT (Mútua-MT), conhecida como o braço social do Sistema. “A instituição oferece soluções em benefícios diferenciados que proporcionam melhor qualidade de vida e ajudam os profissionais a alcançarem seus objetivos, seja um carro novo, uma viagem, uma pós-graduação, um upgrade no seu empreendimento e outros”, disse ele.

Cristina Cavaleiro/ Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR) / Fotos: Igor Bastos