O papel da Mútua na Responsabilidade Social do Sistema

5 de outubro de 2022, às 15h53 - Tempo de leitura aproximado: 3 minutos

Um dos painéis da 77ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (SOEA), evento realizado esta semana em Goiânia (GO), abordou “O papel da Mútua na Responsabilidade Social do Sistema”, visando ampliar a discussão desse escopo tão importante que têm pautado a Mútua, o Confea e os Creas.

Os convidados foram as presidentes de Crea, eng. Ambiental Nancy Walter (RS) e eng. civil Carmem Nardino (AC), e o presidente do Crea-PR, eng. civil Ricardo Rocha. A moderação ficou a cargo do presidente da Mútua, eng. agrônomo Francisco Almeida. Em sua explanação inicial, Francisco Almeida refletiu sobre o potencial que a Caixa de Assistência possui e suas possibilidades de projetos para beneficiar os profissionais. “Acredito que um dos principais problemas que nossos profissionais passam é a questão do desemprego. Pensando nisso, a Mútua tem desenvolvido uma série de projetos, como a jornada BIM, o Programa Profissional Empreendedor e, em breve, o Portal de Empregabilidade”, citou o presidente.

A atuação social da Mútua está diretamente relacionada à sua própria missão, de oferecer benefícios aos profissionais associados. Diante disso, Francisco Almeida ainda pontuou que uma das iniciativas adotadas pela Diretoria Executiva da atual gestão foi a de criar um mecanismo de apoio às Regionais que têm orçamentos limitados para as concessões anuais dos benefícios aos associados e, assim, não ter suspensões no atendimento aos mutualistas.

Salientando que a Mútua precisa do apoio dos Creas para chegar até os profissionais, o presidente da Caixa de Assistência disse que é indispensável a união entre as instituições nas mais diversas ações em prol dos profissionais.

A visão dos presidentes de Creas

Os três presidentes de Crea fizeram suas ponderações acerca da temática do painel e a percepção da importância da Mútua, de como a Caixa de Assistência já contribui socialmente e como pode ampliar sua atuação foram fatores marcantes nas falas de Nancy Walter, Carmem Nardino e Ricardo Rocha.

“Ouço a fala de um ex-presidente de Crea que hoje está à frente da nossa Caixa de Assistência com grata satisfação, pois ele sabe com é estar aqui do outro lado. Mais que isso, a Mútua tem retornado, de fato, em benefícios aos profissionais os recursos que são repassados pelos Creas. Vejo o potencial desse trabalho e por meio das Inspetorias e entidades de classe temos o poder de multiplicar o alcance da Mútua”, avaliou a presidente do Crea-RS.

Já Carmem Nardino, que é ex-diretora da Mútua-AC, disse que também tem a visão de que Mútua e Creas precisam trabalhar em conjunto em todas as ações. “A Mútua deve estar em todos os eventos, mostrando que está presente na vida dos profissionais em todos os momentos”, ressaltou. A presidente do Crea-AC ainda agradeceu à Diretoria da Mútua “por entender a necessidade do suporte às Caixas que precisam de recursos” e, ainda, pela “dedicação em viabilizar o plano de saúde aos nossos profissionais, que é uma grande reivindicação antiga”, concluiu.

Encerrando o trio de painelistas, Ricardo Rocha comentou sobre a interação de sucesso que tem com o presidente Francisco Almeida, sublinhando seu perfil de administrador como um fator preponderante na gestão da Mútua, e a parceria com os diretores regionais da Mútua no Paraná. Em sua análise, a Mútua cumpre seu papel social ao disponibilizar o grupo de benefícios que hoje os profissionais associados têm acesso e avança nisso com outras propostas de reinserção profissional e de qualificação. O presidente do Crea-PR concluiu dizendo que “é responsabilidade de todos o papel social da Mútua!”, quando se está inserido em um Sistema e que é preciso ir “além das entidades de classe, do mundo que estamos acostumados, e chegar a outras instituições e às empresas” para atender mais profissionais.

Alline Abreu – Comunicação/Mútua

Fotos: Tarcisio Macedo – Comunicação/Mútua e Leonardo Fernandes


LinkedIn
Share
WhatsApp