A GEOS Escola é uma empresa incubada no Tecnoparq da Universidade Federal de Viçosa, com mais de 5 anos de experiência e 3 mil alunos por todo o Brasil, que atua com ensino e consultoria em geoprocessamento.

Ressaltamos a importância da parceria entre a GEOS Escola e CREA-MT, sendo um meio de estar oferecendo e divulgando atividades extras de extensão pelo Conselho, gerando bom marketing e relacionamento com seus profissionais registrados.

Outro ponto a ser considerado é a aproximação de profissionais que não são registrados ao CREA-MT, com a participação nas atividades de extensão. A presença destes profissionais nas atividades oferecidas, gera marketing, e consequentemente, pode resultar no registro dos mesmos no CREA-MT.

A GEOS Escola já obteve ótimos resultados com parcerias com outros Conselhos Regionais de Engenharia e Agronomia ao longo do país (ANEXO I), exemplo de parceria firmada constante com o estado do Mato Grosso, CREA-MT. Sendo as maiores parcerias com Empresas Juniores de diversas Universidades Federais ao longo do país.

O curso de geoprocessamento em sensoriamento remoto em Cuiabá-MT será realizado de 21 a 24 de Janeiro, ás 18h às 22h e nos dias 25 de Janeiro de 08h às 18h horas e dia 26 de Janeiro de 08h às 12h horas.

O curso é de suma importância na formação acadêmico/profissional dos alunos de graduação e pós-graduação bem como de professores e profissionais técnicos. A ementa do curso segue conforme ANEXO II.

Sendo contrapartida da GEOS Escola:

  1. Realizar a matrícula e disponibilizar material didático ao aluno;
  2. Suporte ao aluno com acesso ao portal do aluno após a matrícula para download de materiais e banco de dados utilizados no curso;
  3. Suporte aos alunos na etapa semi-presencial;
  4. Disponibilizar 2 (duas) bolsas integrais com 100% de desconto na inscrição para o CREA-MT;
  5. Disponibilizar desconto de 10% para associados ao CREA-MT à nível estadual;
  6. Disponibilizar os materiais de divulgação com a logomarca do CREA-MT.

Sendo contrapartida do CREA-MT:

  1. Realizar divulgação do curso por todos os possíveis meios de comunicação (email, site, redes sociais) aos associados e profissionais do banco de dados do CREA-MT, a nível estadual (nível estadual refere-se ao envio da divulgação à todos os escritórios do CREA-MT espalhados no Mato Grosso e estes escritórios o envio aos seus respectivos profissionais registrados e para possíveis contatos do banco de dados).

ANEXO I

Conselhos Parceiros da GEOS Escola:

Viçosa-MG, 09 de Dezembro de 2019.

Eng. Agrônomo D.Sc.: Alixandre Sanquetta Laporti Luppi

Diretor Executivo – GEOS Escola

ANEXO II

EMENTA DO CURSO DE 120 HORAS

EMENTA: Teoria = T e Prática = P

  1. Apresentação do curso (T);

1.1. Apresentação do professor e da GEOS Escola;

1.2. Apresentação e debate da ementa do curso;

1.3. Dicas para facilitar o aprendizado durante o curso;

1.4. Apresentação dos alunos participantes;

1.5. Organização do Banco de Dados Espaciais utilizados no curso;

  1. Introdução e Revisão ao SIG (T);

2.1. Fontes de dados espaciais primários e secundários;

2.2. Formato de dados espaciais digitais (vetorial e matricial);

  1. Introdução ao ArcGIS (T);

3.1. Versões;

3.2. Funcionalidades dos aplicativos do pacote ArcGIS;

3.3. Comparação do ArcGIS com outros SIG’s do mercado (QGIS, Spring…);

  1. Elaboração do primeiro mapeamento (P);

4.1. Ferramentas básicas do ArcMap;

4.2. Importação e exportação de dados espaciais;

4.3. Tabela de Atributos;

4.4. Mapeamento temático;

4.5. Rotulagem;

4.6. Recorte (Clip);

4.7. Ferramentas de elaboração de mapas;

4.8. Título, Legenda, Norte, Barra de escala, Grid e Texto (Fonte e Sistema de Coordenadas);

  1. Geodésia e Cartografia (T);

5.1. Geóide;

5.2. Elipsóide;

5.3. Sistema de Coordenadas Geodésicas (Lat/Long);

5.4. Sistemas de Projeção Cartográfica;

5.5. Sistema de Projeção Cartográfica – Universal Transverse de Mercator (UTM);

5.6. Sistema Geodésico de Referência – Datum;

5.7. Carta do mundo ao milionésimo e seus desdobramentos em folhas.

  1. S.R 1 – Processamento Digital de Imagens I – Correção Geométrica (Georreferenciamento) (T + P);

6.1. Adição de Pontos de Controle

6.2. Avaliação do erro estatístico RMS

6.3. Ferramentas de atribuição e conversão de sistemas de coordenadas;

  1. S.R 2 Fundamentos de Sensoriamento Remoto (T):

7.1. Tipos de Sensores;

7.2. Espectro eletromagnético;

7.3. Interação da energia solar com a superfície de alvos;

7.4. Assinatura Espectral;

7.5. Diferença de imagem x foto;

7.6. Resolução espacial, espectral, radiométrica e temporal;

7.7. Sensores e Satélites (Landsat, Sentinel, SPOT, RapidEye, CBERS e Worldview);

7.8. Aplicações de Sensoriamento Remoto;

  1. S.R 3 Aquisição de dados espaciais (T + P);

8.1. Sites de aquisição de arquivos vetoriais shapefiles (T);

8.2. Site de aquisição de arquivos raster e imagens de satélite (T);

8.3. Download de dados vetoriais shapefile e imagens de satélite (Landsat, Sentinel e CBERS – NASA, ESA/Copernicus, INPE) (P);

8.4. Visualização de imagens de sensores satélites (P);

8.5. Geração de carta imagem (P).

  1. S.R 4 – Técnicas de Interpretação Visual de Imagens ou Fotointerpretação (T + P);

9.1. Identificação, determinação e interpretação (T);

9.2. Forma, textura e cor (T).

9.3. Elementos, resposta espectral e chaves de interpretação;

9.4. Geração de shapefiles de classificação do uso do solo sobre uma imagem – Exemplo prático do Cadastro Ambiental Rural (CAR) (P);

9.5. Áreas consolidadas – Nota Técnica nº 001/2017/CGMA/SRMA/SEMA-MT (T + P).

9.6. Conceitos de corte raso, degradação florestal e exploração florestal e a identificação destes tipos em imagens de satélite;

9.7. Interpretação da cobertura vegetal (vegetação nativa, afloramentos rochosos, área desmatada, queimadas, exploração, degradação) nos diferentes biomas (Floresta, Cerrado, Pantanal e áreas úmidas);

  1. S.R 5 – Processamento Digital de Imagens II – Mosaico de Imagens (T + P);
  2. S.R 6 – Processamento Digital de Imagens III – Normalização Radiométrica (T + P);
  3. S.R 7 – Processamento Digital de Imagens IV – Correção Radiométrica (T + P);
  4. S.R 8 – Processamento Digital de Imagens V – Realce por Filtragem (T + P);
  5. S.R 9 – Processamento Digital de Imagens VI – Realce por Contraste (T + P);
  6. S.R 10 – Processamento Digital de Imagens VII – Composição de Bandas (T + P);
  7. S.R 11 – Processamento Digital de Imagens VIII – Índices de Vegetação (T + P);

16.1. Índice de Vegetação da Diferença Normalizada (IVDN ou NDVI);

16.2. Fração por Diferença Normalizada – NDFI (identificação de exploração florestal);

16.3. Interpretação de série temporal de imagens de Índice de Vegetação – NDVI.

  1. S.R 12 – Processamento Digital de Imagens IX – Classificação Não Supervisionada (T + P);
  2. S.R 13 – Processamento Digital de Imagens X – Classificação Supervisionada (T + P);

18.1. Detecção automática de classes do uso do solo;

18.2. Auxílio na análise de áreas consolidadas (Nota Técnica nº 001/2017/CGMA/SRMA/SEMA-MT (T + P).

  1. S.R 14 – Metodologia para análise temporal para elaboração de dinâmica de alteração da paisagem (T + P);

19.1. Desmatamento florestal, cicatriz de queimada e culturas agrícolas.

Curso de 4 dias na qual é possível alcançar 40 horas presenciais. As outras 80 horas semipresenciais são pertinentes à elaboração de exercícios propostos em sala com data fixada para entrega dos mesmos e liberação dos certificados. Totalizando 120 horas em certificado.

 

Outras informações: Email: contato@geosescola.com.br / geosescola@gmail.com/ Skype: geos.escola / Twitter: @geosescola/ Celular / Whatsapp: + 55 31 9 2000 – 4797