Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram um aumento de 129% no número de queimadas em Mato Grosso neste ano se comparado com os últimos dois anos. Em 2018, foram registrados quase 15 mil focos de incêndio no estado, um aumento de 23% em relação a 2017. Já no ano passado o crescimento foi de 68%, chegando a 23.749 focos.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT) foi e é contra toda queimada sem a devida licença ambiental. O conselho propugna e se empenha junto ao poder público e as entidades de classe ligadas a área ambiental pelo aprimoramento e incremento de: Legislações a respeito ao combate e ao controle do fogo; Pessoal; Equipamentos de proteção e contra incêndio, entre outros quesitos.

Vale lembrar que sempre quando for realizar esse tipo de atividade deve-se contratar um profissional legalmente habilitado para que tome as providências necessárias perante aos órgãos ambientais competentes, esta é uma medida importante e indispensável bem como o monitoramento e vigilância contínua da propriedade. “A queima controlada é autorizada no Brasil de forma legal, o órgão responsável pela autorização é a Secretaria de Estado de Meio Ambiente.

Fonte: Crea-MT


]