O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), foi representado pelo coordenador da Câmara Especializada de Agronomia (CEAGRO), conselheiro  engenheiro agrônomo Luiz Henrique Vargas, no dia 19 de julho na Live do AgriHub sobre tecnologias para engenheiros atuantes no agronegócio

Para o coordenador da CEAGRO do Crea-MT,  o Instituto AgriHub propõe uma série de oportunidades para os profissionais do Sistema Confea/Crea. A capacitação oferecida pelo instituto juntamente com o Crea-MT abre espaço para esse profissional no mercado de trabalho, capacitando ele para prestação de serviço de qualidade ao produtor rural e às pessoas que buscam esse profissional no mercado. E que o encontro é uma forma  de aprimorar o conhecimento, levar  informações relevantes aos que ainda não tem.  É importante esse engajamento dos profissionais que atuam na área do agronegócio, principalmente os profissionais das modalidades de Agronomia, Engenharia Ambiental, Agrícola, Florestal e Mecânica.

Na oportunidade,  o represente do Crea-MT falou da importância do Crea Mato Grosso.  “O Crea-MT é uma autarquia federal, na qual o foco é preservar a sociedade. O órgão fiscaliza o exercício ilegal da profissão  em defesa da sociedade. Impedindo a atuação de leigos, deixando o mercado aberto apenas para bons profissionais desenvolverem a atividade de forma correta. Os regionais estão incentivando as entidades de classe que são ligadas diretamente aos profissionais do conselho a trazerem as demandas, principalmente as inovações interligando Crea-MT a outras instituições.

“ É uma forma de fortalecer as profissões envolvidas no agronegócio.  No caso do encontro realizado pela instituição Agrihab da Federação da Agricultura de Mato Grosso (Famato) é uma ferramenta de inovação”, disse Luiz Henrique Vargas, que representou o presidente do Crea-MT, Juares Samaniego  durante a Live.

Entre os assuntos  foram abordados sobre as  tecnologias e ferramentas digitais que podem auxiliar nos desafios da profissão de engenheiros ligados ao agronegócio.

O bate papo contou com a participação dos engenheiros agrônomos, Mauricio Nicocelli Neto, especialista em agricultura digital, e Otávio Celidonio, diretor-executivo do Instituto AgriHub.

A ideia é dar “start” na difusão de tecnologias e ferramentas que aumentem a produtividade e o engajamento dos profissionais de engenharia com os seus clientes, no caso o produtor rural. O objetivo é facilitar o melhor gerenciamento de dados e ações que auxiliam no processo de tomada de decisão reduzindo o tempo e os custos nas tomadas de decisões destes profissionais.

“O engenheiro tem o papel de ponte, então é importante adequar o nível de maturidade da solução tecnológica que ele vai indicar para o produtor, aumentando assim a chance de uma melhor aderência tecnológica”, esclareceu Wilton Maciel, responsável pela rede de profissionais do agro AgriHub PRÓ.

Com esta iniciativa, o Instituto AgriHub pretende proporcionar aos profissionais uma plataforma de treinamento com metodologias de análise de processo dentro da propriedade rural, nível de maturidade do produtor e das soluções tecnológicas oferecidas pelas empresas.

“Queremos fazer uma conexão entre os engenheiros e a empresa que oferta as soluções, que posteriormente serão difundidas com seu cliente, o produtor rural”, explicou Wilton Maciel.

Confiram a live  completa aqui 

 

 

Cristina Cavaleiro/ Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR) com informação da assessoria de imprensa    da Famato