A conselheira do Crea Mato Grosso, eng. sanitarista Rosidelma Guimarães, representante da Associação dos Engenheiros Sanitaristas e Ambientais de Mato Grosso (AESA-MT), participou do “Encontro Lixo Zero Melhores Práticas”, promovido pelo Instituto Lixo Zero Várzea Grande, no dia 22 de abril, transmitido pelo Instagram, que teve como objetivo reconhecer, compartilhar e debater sobre iniciativas dos mais variados setores da sociedade que praticam Lixo Zero.

Na oportunidade, a conselheira falou sobre as atividades que estão sendo realizadas pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), na qual é presidente da Seção Mato Grosso. Iniciando, informou que a ABES é uma associação fundada em 1966, portanto com grande maturidade, e criada com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento do saneamento ambiental no Brasil. “Enfim, capacita profissionais dos setores de abastecimento de água, esgotamento sanitário, resíduos sólidos e drenagem para a melhoraria da saúde, do meio ambiente e a qualidade de vida das pessoas”, explicou Rosidelma.

A ABES vem se adaptando ao ambiente neste período de pandemia, trazendo informações aos profissionais técnicos , através de webinar – a ABES Conecta, bem como pelos cursos Educação a Distância( EAD), por meio do projeto UNIABES, destacando que a câmara técnica de resíduos sólidos tem disponibilizado diversos eventos sobre o setor, entre os quais enfatizou sobre a publicação do documento “Recomendações para a gestão de resíduos em situação de pandemia por Coronavírus (COVID-19)”, no qual explica sobre a permanência do vírus nas superfícies, bem como  as responsabilidades dos poderes públicos, das empresas e trabalhadores,  e ações relativas à gestão dos resíduos no período da pandemia, visando a proteção da saúde pública e dos trabalhadores.

No debate com demais participantes do evento, a conselheira Rosidelma demonstrou acreditar que os primeiros passos para uma boa gestão dos resíduos sólidos estão sendo praticados por meio de discussões e práticas no Poder Público, assim como está tendo contribuição da população, que aos poucos está se conscientizando sobre a separação para a coleta seletiva.

 

Cristina Cavaleiro/ Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar (GEMAR)