Benedito Carlos de Almeida representa Crea-MT no Colégio de Presidentes em Aracajú

28 de setembro de 2022, às 17h33 - Tempo de leitura aproximado: 2 minutos

O 1° Vice-presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Mato Grosso (Crea-MT), eng. florestal, Benedito Carlos de Almeida representou o Regional Mato-Grossense na 5ª Reunião ordinária do Colégio de Presidentes (CP) realizado em Aracaju neste mês de setembro.  Na oportunidade ele destacou o panorama do encontro em si, avaliando como um Fórum enriquecedor para os profissionais do Sistema Confea/Crea.

“Todas as vezes que participamos podemos observar a realidade de outros regionais. A partir daí absorvamos as experiências vivenciadas por cada um deles e quando viável levamos para Mato Grosso, dependendo do assunto implementamos no nosso Regional. Um dos temas importantes que discutimos no CP foi sobre as eleições e suas tratativas e investimentos.

Na ocasião, sugeri para a comissão organizadora desenvolver ferramentas para publicidade e divulgação das eleições, para  dessa forma atrair um maior número de profissionais/eleitores “, explanou Benedito, lembrando que o Crea-MT trabalha juntamente com as entidades nesse proposito, inclusive ele é presidente da Associação Mato-Grossense dos Engenheiros Florestais (Amef).

Na oportunidade foi aprovada a proposta de criação de um Grupo de Trabalho para discutir a participação do Sistema na aplicação da Lei de Serviços de Assistência Técnica em Habitações de Interesse Social (Lei n. 11.888/2008). A proposta foi relatada pela presidente do Crea-AL, eng. civ. Rosa Tenório, em nome do Fórum Nordeste. Com a aprovação da proposta, foram aclamadas as presidentes engenheiras civis Ana Adalgisa (Crea-RN), Carmem Nardino (Crea-AC) e Fátima Có (Crea-DF) para integrar o GT.

“Precisamos nos posicionar e ser um ator nesse processo. Uma das prioridades hoje no Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR)  é fazer a assistência técnica. E precisamos ser lembrados. Nós precisamos agir. Independentemente de quem esteja no governo no próximo ano, já que isso é uma política de Estado”, comentou a presidente do Crea-RN, eng. civ. Ana Adalgisa. “Podemos trabalhar junto ao Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), nisso”, enfatizou. “A Lei realmente fala de arquiteto, e a Lei de criação do CAU estabelece que 2% da receita deles vão para assistência técnica. A sigla ATHIS está ainda ligada à Arquitetura, mas temos que credenciar os profissionais à assistência social”, testemunhou a presidente do Crea-DF, Fátima Có.

Durante o encontro foi apresentado sobre eficiência energética. O assunto foi conduzido pelo eng. eletricista Pedro Martiniano Lins Neto, especialista em eficiência energética do Grupo Energisa, associado à Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica. Após apresentar a pauta com a intenção dos assuntos que abordaria, Pedro mostrou uma linha do tempo dos programas de eficiência energética no Brasil de 1984 a 2016.

“Esta é uma pauta importante para o meio ambiente, para o desenvolvimento sustentável. As crises energéticas são cíclicas, temos que nos planejar”, disse o eng. eletricista Pedro Martiniano antes de pontuar que o sinônimo de eficiência energética é justamente sustentabilidade e competitividade. Segundo notas técnicas do Ministério de Minas e Energia apresentadas por Pedro, a cada R$ 1 retirado do investimento em eficiência energética, perdem-se R$ 12,66 em economia que poderia ter sido feita.

 Além de outros  assuntos debatidos, confiram mais informações no:

Texto 01

Texto 02

 Cristina Cavaleiro / Gerência de Relações Públicas, Marketing e Parlamentar/Informações e fotos: Confea 


LinkedIn
Share
WhatsApp