Cuidar bem dos pneus significa cuidar bem da segurança e do “bolso”. Da segurança, porque os pneus são os responsáveis por garantir a dirigibilidade do veículo, frenagens e acelerações, estabilidade, manobras emergenciais e absorção dos impactos promovidos pelas irregularidades do piso. Do “bolso”, porque pneus bem cuidados têm vida útil prolongada e podem representar a diferença entre escapar ou não de um acidente, que caso ocorra, obrigará você a arcar com despesas extras. Além disso, cuidar bem dos pneus pode evitar uma tremenda dor de cabeça, pois trafegar com pneus que apresentem sulcos abaixo de 1,6 mm. é infringir a lei e o veículo pode ser apreendido (Resolução 558/80 do CONTRAN). Um veículo trafegando a 80 Km/h, com motorista em condições normais, em piso seco e utilizando pneus gastos com profundidade de sulcos de 1,6mm, precisa de 36 metros a mais para parar, quando comparado ao mesmo veículo, na mesma situação, porém utilizando pneus novos. Um espaço que certamente fará falta no caso de uma freada brusca ou manobra emergencial para evitar algum acidente. Embora a longevidade dos pneus dependa de uma infinidade de variáveis: temperatura, velocidade, pressão, tipo de piso, alinhamento e balanceamento, amortecedores e molas, freios e outras, depende muito daquela “peça” que fica entre o encosto do banco e o volante e que influi significativamente não só na vida útil dos pneus como também dos demais componentes do veículo. Essa “peça” é tão importante que se não estiver em condições normais pode inclusive reduzir a vida útil das pessoas! Dirigir um veículo de maneira agressiva, acelerando e freando bruscamente, fazendo zig-zags e curvas em alta velocidade, reduz em média 50% da vida útil dos pneus; aumenta o consumo de combustível, o desgaste prematuro dos freios e de outros componentes. Dirigir de maneira displicente, fazendo o estilo “caça-buracos”, subindo nas calçadas, beliscando as guias, passando pelos obstáculos e redutores de velocidade, como se não existissem, causa danos irreparáveis aos pneus, tais como cortes e bolhas, que podem resultar em um estouro imprevisível e de conseqüências trágicas. Os pneus são os únicos componentes do veículo que estão em contato com o piso. Portanto, acostume-se a verificá-los periodicamente. Consulte o manual do veículo e cumpra as orientações determinadas pelo fabricante. Caso não o tenha, adote o seguinte procedimento: - Calibre semanalmente os pneus (estepe a cada quinze dias). Aproveite este momento e verifique se eles apresentam desgastes irregulares, bolhas e cortes. - Verifique alinhamento, balanceamento e faça o rodízio dos pneus a cada 10.000 km. Cuidar dos pneus com carinho é cuidar da segurança e do “bolso”. Luiz Roberto M. C. Cotti Projeto Sobrevivência no Trânsito 11.9357.7310 – 3051.6771 cotti@mc7.com.br